“Somos muito cogitados”: Diretoria se reúne e estabelece preço bilionário para vender ações SAF do Atlético-MG

O Atlético-MG não descarta a possibilidade de implementar uma Sociedade Anônima de Futebol, a SAF, no clube e vender suas ações. Menin, um dos homens fortes da equipe mineira, admite que o futuro do futebol brasileiro está encaminhado para o crescimento do SAF e vê uma provável negociação com bons olhos. Ele chegou a elogiar o rival Cruzeiro, que vendeu suas ações a Ronaldo Fenômeno.

Fernando Moreno/AGIF. Diretoria do Atlético-MG vê transformação de clube em SAF com bons olhos.

“Acho que o passo dado pelo Cruzeiro é um passo inteligente. Outros times já estão fazendo. Possivelmente o Atlético também o fará, do jeito certo, no momento certo, que é a profissionalização. É a evolução do futebol. E uma tendência no futebol brasileiro. Já deu certo em outros lugares”, pontuou Menin.

O Galo, inclusive, segundo informações do jornalista Jorge Nicola, já teria definido o preço de uma futura venda de suas ações. O clube mineiro visa nada mais, nada menos, do que R$ 4 bilhões de reais para negociar. O valor é bem maior do que qualquer compra já realizada até o momento – a negociação mais cara foi a do Vasco da Gama, que custou R$ 1,7 bilhão, contando reformas no estádio e CT.

“A operação total, incluindo investimento e dívidas, tem de ficar perto dos R$ 4 bilhões. Podemos dizer que somos hoje uma noiva cogitada por muitos no mercado”, afirmou um dirigente do clube. Enquanto a negociação não acontece, o Atlético-MG enfrente o rival Cruzeiro neste domingo (6), pelo Mineirão.

Por Maria Eduarda Souza