Fora do UFC Rio, Anderson Silva ameaça parar caso não dispute o cinturão interino

O lutador Anderson Silva soltou o verbo contra o UFC em entrevista ao programa “The MMA Hour”. O brasileiro está fora do card do UFC Rio, marcado para o dia 3 de junho, porque o seu adversário Kelvin Gastelum foi flagrado em antidoping. No entanto, ele sugeriu uma luta contra o cubano Yoel Romero, número 1 entre os desafiantes do peso-médio e ameaçou se aposentar, caso a chance não fosse dada pela organização.

“Vou parar. Luto há muito tempo, estou cansado. Fui desrespeitado, tenho uma história, um legado. Estou frustrado porque é a segunda vez que vou lutar no meu país. Fui lutar em Londres e em diferentes países. Nada acontece agora. Perdi meu tempo, meu dinheiro, minha energia. Quando os fãs falam comigo da luta no Rio, eu digo que não sei o que está acontecendo. Eu falo com o Ed Soares, que é meu empresário, e ele diz: “Eles (UFC) estão falando em você não lutar no Brasil mais”. Perdi  tempo com minha família… Que po*** é essa que está acontecendo? Não estão respeitando a minha história no esporte, nem o meu legado. Estou cansado”, desabafou.

“Estou há um tempo treinando no Rio de Janeiro, comecei meu camp e estou muito frustrado. Os caras (UFC) estão me dando opções de luta, eu respeito o Yoel Romero, é o número 1 do ranking. Eu disse que luto contra o Romero, mas pelo cinturão interino. É um grande negócio para o UFC. Por que não essa luta no Brasil? Eu não sei o que está acontecendo, mas estou muito desapontado. Yoel não vem ao Brasil por nada, ele é o primeiro do ranking. Não faria sentido lutarmos por nada. Eu falei com a equipe do Yoel, que tem o mesmo pensamento. O Yoel diz que luta no Rio pelo cinturão interino, eu falei com meu empresário que aceitaria, mas nada está acontecendo. (…) Estou no Brasil, gastei muito dinheiro, perdi oportunidades, deixei minha vida de lado pela luta, colocando como prioridade na minha vida. E nada está acontecendo”, justificou.

Anderson ainda lembrou que o ex-campeão Georges St-Pierre, que estava aposentado do UFC há três anos, ganhou o direito de disputar o cinturão quando resolveu voltar a entrar no octógono.

“Na minha cabeça, na minha opinião, é um desrespeito com os outros lutadores da categoria. É uma palhaçada. É um desrespeito com os outros atletas. Estou muito decepcionado com o Dana. Eu estou cansado, eu não preciso mais disso. Não acredito em nada que o Dana fala, porque nada acontece. Ele e Lorenzo falaram para mim que, quando o GSP voltasse, eu o enfrentaria em uma superluta. Eu disse: “Ok”. E, um dia, o GSP resolve voltar e vai lutar pelo cinturão? Isso não faz sentido, meu Deus!”, afirmou.

Fonte – Bahia Notícias

Comentários