Eunápolis leva o extremo sul a sua oitava final de Intermunicipal

Oitava? Há controvérsia. Bem, realmente seria a oitava se em 1997, ano em que Itamaraju chegou, porém acabou sendo eliminada por irregularidade na inscrição de um atleta. Mas quanto a isso, melhor mesmo é deixar de lado.

Na realidade a virada do Milênio fez muito bem ao Extremo Sul pertinente ao futebol(Intermunicipal). Observem:
2002/04, (Bicampeã) – Itamaraju; 2007(Vice), 2010(Campeã) e 2013(Vice) – Porto Seguro; 2016(Vice) – Itabela e
2017(?) – Eunápolis.

Em sete finais, foram três títulos, sendo dois com Itamaraju e um com Porto Seguro. E para equilibrar, metade/metade, ou seja, igualando o número de títulos aos de Vices, basta que Eunapolis seja a Campeã.
Campeã! Muitos itamarajuenses se deslocarão até Eunapolis para assistir a partida no próximo domingo. Porém, devido a rivalidade e principalmente depois dos dois confrontos em que Itamaraju não conseguiu vencê-lo, há quem diga por aqui que será Euclides da Cunha desde pequenininho. É amigo, é a velha rivalidade imperando mesmo.

Mas pelo que tem feito no certame, vejo que Eunapolis fará muita gente sofrer por aqui. Trata-se de um time cascudo, cujo treinador é tão cascudo quanto. O Beto Oliveira, simplesmente detêm três títulos em três finais, inclusive, um por Itamaraju em 2004, feito que em caso de mais uma conquista o levará a condição de estar entre os maiores vencedores, inclusive igualando ao Zé Gambirra. Quanto ao seu plantel, basta citar, quiçá o maior arqueiro da história do Intermunicipal que é Marcio Greyck, o qual tem no currículo sete títulos em nove finais, podendo galgar ainda o oitavo. E olha que o Intermunicipal é recheado de grandes goleiros, porem na minha humilde visão não enxergo nenhum outro com tamanha categoria.

Quanto a Euclides da Cunha que cruzará pela segunda vez com uma seleção do Extremo Sul numa final de campeonato, a lembrança para eles é nada boa, pois foram os vices em 2002, e perderam para quem? Ah, desse feito o itamarajuense jamais esquecerá. A seleção da região sisaleira também tem jogadores de respeito embora veteranos, como é o caso de Malhadinha e Pim, este último inclusive é o artilheiro do certame. E por falar nele (Pim), a três anos atrás ele foi homenageado e recebeu o prêmio da FBF, como sendo o maior artilheiro da história do futebol amador da Bahia com mais de 150 gols naquela ocasião. Reiteramos que tanto o Pim quanto o Malhadinha foram companheiros do Marcio Greyck quando juntos defenderam Conceição do Coité que simplesmente ganhou os títulos de 2005/06/07 e 2008. Ainda sobre “Os Galáticos” (Euclides da Cunha) como são intitulados, eliminaram nada mais nada menos do que duas seleções do Extremo Sul, respectivamente Porto Seguro e Itabela, nas quartas e semifinais.

Domingo o Estádio Municipal José Araújo de Santana “Araújão”, vai ser pequeno para tanta gente. Estou convicto de que será um confronto digno de uma grande final.

Por Antônio Reis Viana

Comentários