Em campo mal marcado e encharcado, Real Noroeste vira sobre o Atlético-ES e entra no G-4

Foto: Rafael Kock/CA Itapemirim

O Real Noroeste se recuperou da má fase e conquistou a sua segunda vitória consecutiva ao derrotar o Atlético-ES, de virada, pelo placar de 3 a 1, em partida da 8ª rodada do Campeonato Capixaba 2020 que aconteceu na tarde deste sábado, no José Olímpio da Rocha, em Águia Branca.

O Galo da Vila abriu o placar com o zagueiro Anderson, ainda no 1º tempo. Porém, na segunda etapa, os Merengues Capixabas viraram o jogo com gols de Matheus Barbosa, Aloísio e Gustavo.

Com o resultado, o Real ultrapassou os xarás Rio Branco-ES e Rio Branco VN, chegando ao 3º lugar geral, com 14 pontos. Já o time de Itapemirim segue ameaçado de rebaixamento, com apenas quatro pontos. Caso o Estrela do Norte vença o São Mateus, na próxima segunda-feira, no Sumaré, o Galo da Vila estará automaticamente rebaixado para a Série B de 2021.

No próximo final de semana, na última rodada da 1ª fase, quando todos os jogos estão marcados para o sábado, às 15h, o Real Noroeste vai até São Mateus encarar o Pitbull do Norte no Sernamby. E o Atlético-ES enfrenta o Vitória-ES, no Estádio Sumaré, em Cachoeiro de Itapemirim.

Apenas uma das linhas da grande área tinha marcação forte — Foto: Rafael Kock/CA Itapemirim
Apenas uma das linhas da grande área tinha marcação forte — Foto: Rafael Kock/CA Itapemirim

Linhas apagadas geram polêmica

Logo após a partida, a diretoria do Galo da Vila reclamou muito das condições do gramado e da marcação das linhas do campo do José Olímpio da Rocha, em Águia Branca. De acordo com o gerente de futebol do Galo da Vila, Rafael Kock, o clube pretende entrar com uma reclamação formal e até mesmo uma ação no STJD contra o Real Noroeste, alegando que a falta de marcação do campo fere o regulamento.

De acordo com o capítulo 2 – artigo 7º – item 2 do Regulamento Geral da CBF, o time mandante tem como obrigação “providenciar, com a necessária antecedência, a marcação do campo de jogo, obedecendo, rigorosamente, às disposições da Regra 1 da IFAB, ou, se previsto no REC, às especificações, recomendações e padronizações ali contidos, bem como a colocação das redes das metas e a instalação dos bancos para atletas reservas e membros das comissões técnicas”.

A reportagem do GloboEsporte.com procurou o Real Noroeste, que se pronunciou por meio do seu diretor de futebol Danilo Bigasz, afirmando que as condições do campo, prejudicadas por conta das chuvas, eram iguais para os dois times.

– Quando a arbitragem chegou aqui em Águia Branca, a gente falou com eles sobre o gramado, mas depois tiramos a água com rolo, furamos buracos para escoar a água. O campo foi marcado, ficou um pouco apagado mas tava dando pra ver. Mas a condição foi igual para todos, tanto pra gente quanto pra eles, que saíram ganhando de 1 a 0. Não entendo o porquê dessa reclamação, pois se eles quisessem, poderiam pedir pra não ter jogo. O juiz deu condição de jogo e foi igual pra todo mundo – afirmou.

Por GloboEsporte.com/es

Comentários