Economia e brigas: por que Espanha tem a única grande liga da Europa que não usa tecnologia

Árbitro mostra cartão amarelo em jogo do Real Madrid no Espanhol

Se no Brasil o debate sobre uso de tecnologia no futebol é constante, nas principais ligas da Europa, ele só acontece na Espanha. O campeonato do país é o único que, assim como a Série A, não conta nem com o auxílio de vídeo ao árbitro ou o mecanismo implantado na linha do gol.

Os motivos que afastam o Espanhol das tecnologias já aplicadas na Alemanha, França, Itália e Inglaterra vão, segundo ao jornal “El País”, de problemas financeiros até políticos.

Em relação ao dinheiro, o impasse é semelhante ao que impede a CBF de adotar a tecnologia: é que o HawkEye, modelo homologado pela Fifa, tem custo elevado, de 5 milhões de euros (R$ 18,5 milhões), valor que LaLiga se nega a pagar à entidade máxima do futebol.

Uma briga nos bastidores, por outro lado, impede a adoção do auxílio de vídeo, o chamado VAR, que está sendo testado nesta temporada na Alemanha, Itália, França, Portugal e Holanda – a Premier League, na Inglaterra, aplica a tecnologia apenas com o HawkEye até agora.

A Liga, que ao contrário do Brasil é independente da federação na organização do campeonato, afirma que pediu à Federação Espanhola a implantação do auxílio de vídeo, mas nunca teve resposta. Segundo a entidade, sem a aprovação do órgão não é possível a adoção da novidade.

Além disso, caberia à Federação aplicar treinamentos aos árbitros para a utilização da tecnologia.

O “El País” cita dois exemplos em que a tecnologia poderia ter auxiliado a primeira rodada do Campeonato Espanhol, no fim de semana, com um gol duvidoso validado no empate de 1 a 1 entre Sevilla e Espanyol; e uma bola que supostamente entrou no 0 a 0 entre Athletic Bilbao e Getafe.

Por ESPN

Comentários