Dança dos técnicos: Baianos mantêm média de uma demissão por rodada

Em apenas quatro rodadas disputadas pela fase de classificação do Campeonato Baiano da 1ª Divisão da FBF, quatro técnicos demitidos, numa competição com a participação de apenas 10 clubes, e nove jogos por equipe. Depois de Beto Oliveira, do Doce Mel, de Cruz das Almas, o primeiro a cair, logo na 1ª rodada, o 2º a cair foi Francisco Diá, da Juazeirense, de Juazeiro.

Na 3ª rodada nenhum treinador foi demitido, mas na 4ª rodada, veio o pacote de duas demissões: caíram o técnico Lourival Santos, da Unirb, que ainda não venceu no Campeonato Baiano, e ocupa a 8ª colocação, com dois pontos conquistados em quatro partidas, e o outro técnico demitido no início desta semana foi Zé Humberto, do Vitória da Conquista. Após quatro jogos sem vitórias no Estadual, o Bode, adversário do Vitória no próximo domingo, no Estádio Lomanto Junior, anunciou a demissão do profissional.

Não é coincidência, mas uma consequência natural, que os quatro técnico demitidos nas primeiras quatro rodadas do Campeonato Baiano, eram dos clubes que ocupam as últimas colocações, e vão disputar as cinco últimas rodadas para fugir do fantasma do rebaixamento em 2023: Doce Mel, 7º colocado, com três pontos; Unirb e Juazeirense, em 8º e 9º lugares, ambos com dois pontos, e o Vitória da Conquista, lanterna, 10º colocado, com apenas um pontos ganho.

Quem será o 5º técnico a ser demitido no Campeonato Baiano de 2022? Se dependesse de torcida, seria Guto Ferreira, do Bahia, que decide seu futuro no jogo de amanhã, contra o Barcelona de Ilhéus, na Fonte Nova.

Fonte: Tribuna da Bahia