Corinthians não paga tela e rede, faz empresa entrar no cheque especial e caso vai parar na Justiça

Uma empresa de reforma e construção de estruturas esportivas entrou na Justiça contra o Corinthians devido ao não pagamento de um serviço executado a pedido do clube paulista.

A Help Telas e Alambrados Ltda pede R$ 18.129,31 da equipe, com o processo correndo no Juizado Especial Cível de São Paulo.

Na ação, a companhia alega que, em agosto de 2017, recebeu do “Timão” um pedido de instalação de telas de fechamento para o Ginásio Bernadão, no Parque São Jorge, onde treinam e jogam as equipes de juniores de vôlei da agremiação – o elenco profissional atua em Guarulhos.

No entanto, a empresa alega que até hoje não recebeu o que lhe é devido, apesar de, segundo o processo, “o engenheiro Ruy Azevedo [funcionário do Corinthians] ter alegado que não haveria atraso no pagamento dos serviços”.

“Ocorre que, até a presente data, a ré ainda não efetuou o pagamento. Foram realizados inúmeros contatos e promessas de pagamento, sem sucesso, motivo pelo qual a autora levou o título a protesto junto ao 6º Tabelião de Protesto de Letras e Títulos”, diz trecho do processo.

A Help Telas e Alambrados Ltda alega que, devido à demora do Corinthians fazer o pagamento, teve que entrar no cheque especial e acabou se endividando.

De acordo com o pedido, entre outubro de 2017 a fevereiro de 2018, a companhia já pagou R$1.642,92 a título de juros.

“Desta forma, esgotados os meios de tentativa de solução extrajudicial do conflito, não restou alternativa à autora senão buscar a devida tutela jurisdicional”, ressalta a advogada que cuida do caso.

O pedido na ação é que o Corinthians pague os R$ 8.500,00 do orçamento emitido pela empresa inicialmente para o serviço no ginásio Bernardão.

Além disso, ainda são cobrados mais R$9.629,31, “a título de indenização pelos danos materiais sofridos pela autora, em razão da necessidade de uso do cheque especial de sua conta bancária nos períodos de setembro de 2016 a junho de 2017 e de outubro de 2017 a fevereiro de 2018, bem como ao pagamento de eventuais outros juros pagos no curso da lide”.

Logo, a soma dá R$ 18.129,31.

Uma audiência de conciliação foi marcada para o dia 8 de maio, em São Paulo, para que as partes tentem chegar a um acordo.

Procurado, o Corinthians enviou o seguinte posicionamento através de seu diretor jurídico, Fábio Trubilhano.

“O Corinthians ainda não foi citado sobre o caso em questão, razão pela qual aguardará o momento oportuno para apurar a situação e tomar as medidas processuais cabíveis”, disse.

E NÃO FOI A PRIMEIRA VEZ

Curiosamente, essa não foi a primeira vez que a Help Telas e Alambrados Ltda alega ter passado por problemas com o Corinthians.

Em 2017, a empresa alegou que o “Timão” atrasou o pagamento de uma rede de futevôlei fornecida ao clube, ao custo de R$ 6.000,00, em agosto de 2016.

Após três meses de demora, a companhia entrou com protesto em cartório, mas mesmo assim não conseguiu receber.

De acordo com o processo, o pagamento só foi realizado depois de 10 meses, e com muitos prejuízos à requerente.

“A empresa autora já havia sofrido sérias consequências financeiras devido à necessidade de entrar em cheque especial para cumprir com seus compromissos. Conforme extratos bancários […] referentes ao período de setembro de 2016 a junho de 2017, a autora pagou, a título de juros pelo uso do cheque especial, o valor de R$7.986,39”, explica a advogada.

Apesar disso, a Help Telas e Alambrados Ltda voltou a aceitar um pedido do Corinthians e topou fazer o serviço nas telas do ginásio Bernardão, tendo novos problemas com o time do Parque São Jorge.

Por ESPN

Comentários