Conmebol vai analisar se retira da Libertadores a regra do gol fora de casa

A direção da Uefa (União Europeia de Futebol) decidiu na semana passada retirar o gol fora de casa como desempate de seus torneios e a Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) vai analisar fazer o mesmo a partir de 2022 nas suas Copas Libertadores e Sul-Americana. Para os jogos eliminatórios das edições de 2021, que começam em julho, o regulamento prevê o gol qualificado e será mantido.

Não será a primeira vez que a confederação sul-americana discutirá o tema: em 2019, por sugestão do Brasil, o Conselho da Conmebol colocou o assunto na pauta, mas não houve consenso para alterar os regulamentos mesmo com apoio do presidente, Alejandro Dominguez, que disse particularmente não gostar da regra.

Havia resistência de federações menores, que viam no gol fora como critério de desempate a chance de equilibrar mais confrontos contra times brasileiros e argentinos. Ocorre que desde 2009 somente um time que não fosse do Brasil ou da Argentina foi campeão da Libertadores, o Atlético Nacional (COL), em 2016. E nos últimos quatro anos a final só teve equipes desses dois países.

A Conmebol usa o gol qualificado como desempate de seus confrontos eliminatórios na Libertadores e na Sul-Americana desde 2005, por influência da Uefa. Em 2008 a regra passou a não valer para as finais, que até 2018 eram disputadas em duas partidas, mas agora são confrontos únicos, obviamente sem gol fora de casa desempatando.

A Conmebol tem seguido a Uefa em algumas decisões. Decidiu, por exemplo, fixar a Copa América de quatro em quatro anos, a partir da edição adiada de 2020, em anos pares para coincidir com a Eurocopa. Também transformou seu segundo torneio de clubes, a Sul-Americana, em uma competição com fase de grupos, como a Liga Europa da Uefa já é disputada há alguns anos.

A coluna apurou que haverá maior esforço da direção da Conmebol em convencer as federações a aceitarem a mudança em uma decisão que deve ser tomada até dezembro. Ao contrário da Uefa, entretanto, é provável que as fases de oitavas até a semifinal dos torneios sul-americanos não tenham prorrogação de 30 minutos em caso de igualdade no saldo de gols e a decisão da vaga vá direto à disputa de pênaltis.

Incluído no regulamento para tentar evitar justamente decisão por penais, e para incentivar times visitantes a buscar mais o gol nos jogos eliminatórios, o gol qualificado acabou com os anos criando equipes mandantes mais medrosas. Houve evolução também em cobranças de pênaltis, que se tornaram menos “loteria”, como se popularizou anteriormente, com a implantação da análise de desempenho nos departamentos de futebol.

Fonte: UOL

Comentários