Conmebol estudou tirar final da Libertadores do Maracanã por alto custo

A final da Copa Libertadores está confirmada para o Maracanã, no próximo dia 30. O local, no entanto, não foi exatamente uma certeza ao longo dos últimos meses. Diante de uma pandemia, a Conmebol cogitou algumas vezes tirar a decisão do icônico estádio carioca e apostar em um evento menor, em Assunção, no Paraguai, perto de sua sede. O objetivo era claro: reduzir custos.

Foto: Reprodução

A confederação sul-americana entende que mobilizar pessoal e preparar o estádio com capacidade para quase 80 mil pessoas demanda trabalho e custos maiores. Sem púbico, isso perderia o sentido – na visão dos cartolas. Debatido ainda no meio de 2020, o assunto voltou à pauta na última semana. Mudar toda a logística a um mês da final, no entanto, foi opção descartada por organizadores e até CBF, que responde por parte do trabalho.

Representantes da parte comercial da Conmebol ainda alertaram para o desgaste de uma terceira mudança de local de final em três anos – em 2018, o jogo de volta entre Boca e River foi para Madrid após episódios de violência em Buenos Aires; em 2019, a final saiu de Santiago para Lima por protestos no Chile. Voto vencido, o presidente da entidade, Alejandro Domínguez, não escondeu a chateação por não trocar a sede e ainda “perder” o Maracanã para uma futura possibilidade.

Fonte: Site UOL

Comentários