Com interesses diferentes, Globo e CBF não chegam a acordo sobre MP da transmissão de jogos

A Medida Provisória 984/2020, assinada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), há uma semana, que dá ao mandante de um jogo os direitos de transmissão da partida, está causando muita confusão nos bastidores do futebol brasileiro.

A MP altera a Lei Pelé e dá aval para que clubes mandantes definam quem exibirá seus jogos, tanto na TV quanto na web, traz interpretações diferentes entre CBF e Globo.

Segundo o Lance, a entidade máxima do futebol brasileiro entende que a MP pode ser vantajosa para valorizar ainda mais o Campeonato Brasileiro, enquanto a segunda afirma que não vai abrir mão dos contratos previamente assinados, com validade até 2024. A informação é do jornal “Folha de São Paulo”.

A Rede Globo assinou contratos de transmissão de Estaduais e do Campeonato Brasileiro com diversos clubes do país pelos próximos quatro anos. Em nota divulgada, a empresa afirmou que vai honrar os compromissos contratuais.

Com a MP, tanto Globo quanto Turner poderão transmitir a mesma partida, quando o jogo for de equipes que assinaram com diferentes empresas. Este cenário é visto pela CBF com otimismo: a maior divulgação é vista como um potencial aumento de receitas de patrocínios e valorização do Campeonato Brasileiro.

Com a medida, o Flamengo, que não assinou contrato com a Globo para o Campeonato Carioca 2020, poderia transmitir os jogos dos quais for mandante no Estadual na “FlaTV”, seu canal no YouTube. Até a publicação desta matéria, contudo, o Rubro-Negro não divulgou nenhuma posição oficial sobre o assunto.

Fonte: Isto É

Comentários