CBF acaba com limite de idade e exigência de ensino superior para árbitros do seu quadro

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) não vai mais estabelecer limite de idade e também retirou a exigência de estar cursando ou ter completado o ensino superior dos requisitos para árbitros do quadro nacional. O anúncio foi feito pela entidade nesta segunda-feira (23) através da manifestação no inquérito do Ministério Público do Trabalho (MPT), onde é investigada por discriminação. Os dois itens não serão cobrados a partir da próxima temporada.

No último mês de maio, o MPT, através de denúncia feita pelo Sindicato dos Trabalhadores da Arbitragem Esportiva (Sintrace-RJ), apura as condições impostas pela CBF aos árbitros que desejam ingressar e permanecer nos seus quadros nacionais. Oficialmente, a entidade tem o limite de 55 anos, enquanto que para os profissionais das categorias C/D, que atuam apenas nas Séries C e D do Brasileiro, faixa cai para 45. Para entrar nos quadros, precisam ter até 38 anos. Porém, outras regras não estão escritas, mas são veladas como por exemplo, para apitar os jogos os donos do apito devem estar de barba feita e não ter cabelo grande, exceção feita às mulheres. Além de não ter nome sujo no Serasa ou SPC.

Sobre a questão da barba, que foi um dos objetivos do inquérito do MPT, a CBF alegou não existir tal exigência. Na sua defesa, a entidade mostrou foto de um juiz durante uma partida do Brasileirão.

“Estamos eufóricos pelo reconhecimento da própria CBF dos excessos que vinham cometendo ao longo dos anos e por ter abolido tais requisitos. Conseguimos de uma forma pacífica equiparar as relações. Hoje é dia de comemorar. A única coisa que falta é que a CBF, assim com envia ofício informativos para categoria, inclusive com esses requisitos da denúncia, tenha a mesma postura de comunicar federações e árbitros. Temos que dar publicidade a isso”, comemorou Marçal Rodrigues, presidente do Sintrace-RJ.

Fonte: Bahia Notícias

Comentários