Atlético de Alagoinhas se prepara para retorno à primeira divisão

Time do Atlético levantou o troféu de campeão da Série B.(Foto:Carlos Santana/ FBF)

Longe da elite há cinco anos, disputando a segunda divisão do Estadual, o Atlético de Alagoinhas, carinhosamente conhecido como Carcará, prepara seu retorno para à Série A do Campeonato Baiano em 2019. Na mala, carrega a conquista do título da segundona, diante do PFC Cajazeiras.

A direção do clube, com muita cautela, está fazendo os ajustes finais para a montagem do elenco. Até agora, nenhum jogador foi anunciado oficialmente. Embora em suas redes sociais, o clube afirma que na primeira semana do mês de dezembro serão anunciados os atletas e comissão técnica para a próxima temporada.

Novo Carneirão

O emblemático Estádio Municipal Antônio de Figueiredo Carneiro, o Carneirão, voltará a receber jogos do Campeonato Baiano. As obras de reforma e restauração estão a todo vapor para que, até a vistoria da Federação Bahiana de Futebol (FBF), o palco esportivo esteja apto a sediar os jogos do Carcará.

Em parceria com a Prefeitura de Alagoinhas, o Atlético vai se reconstruindo e buscando se reestruturar no cenário do futebol baiano. Com 100% das arquibancadas liberadas, a capacidade do “novo” Carneirão será de aproximadamente 16 mil pessoas. O gramado foi completamente trocado por um mais moderno, segundo a organização do estádio, no padrão “Fonte Nova”.

Carneirão recebendo nova pintura. (Foto: Reprodução/Facebook/Atlético)

Na reforma, está sendo implantada a construção de um espaço para cadeirantes, iluminação especial, e construção de uma área de aquecimento dos times, reforma das arquibancadas, alambrados e escadas. O esperado é que, no final, o Estádio esteja preparado para receber mais 8 mil torcedores, praticamente duplicando a sua capacidade atual.

União do grupo foi fundamental para acesso do Atlético. (Foto: Eduardo Dias/Resenha na Rede)

O Acesso

O atlético fez uma campanha digna do título da Segunda divisão do Baianão 2018.  Liderou o campeonato ponto a ponto com o Cajazeiras, levando vantagem para as finais nos critérios de desempate. A campanha foi praticamente idêntica a do adversário da final: os dois tinham o mesmo número de pontos, 18, mas com o Carcará com a melhor defesa e ataque, portanto, consequentemente, melhor saldo de gols da competição saiu na frente da disputa.

Após a confirmação do título, a cidade de Alagoinhas ficou em festa, logo após o empate com o Cajazeiras, na segunda partida das final, e garantir o título e acesso à Série A do Campeonato Baiano, cinco anos depois. Além do título, o Atlético levou também o artilheiro da competição, o atacante Deon, que dividiu o prêmio com o atacante Robert, do Cajazeiras.

Deon, campeão e artilheiro da série b pelo Atlético. (Foto:Reprodução)

Próxima Temporada

O Atlético buscará em 2019 repetir os feitos dos primeiros anos da década de 2000, onde foi 6º colocado por três oportunidades; em 2010, 2011 e 2012, e em 2009, quando conseguiu chegar as semi-finais e ficar na 4ª posição. Um ano para ser esquecido pelos atleticanos é o de 2013, o de seu rebaixamento, quando amargou a 12ª posição do campeonato.

A campanha de maior destaque do Carcará foi nos anos 70, mais precisamente 3 anos após sua fundação, quando foi vice-campeão baiano, perdendo a final para o Bahia, em 1973.  O Atlético conquistou o primeiro turno e o Bahia o segundo, fazendo então a finalíssima em partida única, que terminou em Bahia 2×0 Atlético.

Por Resenhanarede.com.br

Comentários