Adriano anuncia retorno aos gramados: ‘Não consegui completar a minha carreira’

Anúncio foi feito em programa de TV

Um dos grandes nomes recentes do ataque brasileiro, o atacante Adriano “Imperador” anunciou nesta quarta-feira (11) o retorno aos gramados em 2018, durante a gravação do programa Conversa com Bial, da TV Globo. Aos 35 anos, ele está sem clube desde 2016.

“Estou me ajeitando para fazer um projeto e começar a treinar de novo, sem clube nenhum, durante todo o mês de janeiro,” revelou.

O último clube de Adriano foi o Miami United, time semiamador dos Estados Unidos. Antes, ele havia defendido o Atlético-PR na Libertadores de 2014. Contudo. Por problemas extracampo. De acordo com o atleta, ele segue em forma. “Desde que parei, consegui manter meu corpo. Estou disposto a isso, sei que tenho que ter muita persistência”, garante.

Ídolo de Flamengo e Internazionale, Adriano tem a vida esportiva marcada por problemas, o que abreviou sua carreira em alto nível. O início disto tudo aconteceu em 2004, com a morte do pai, por infarto. No programa, ele admite ter entrado em depressão por conta da perda.

Após isso, a carreira dele declinou. Passou a frequentar o banco de reservas da Inter de Milão. E, num período em que se tratava de lesão, acabou emprestado por seis meses ao São Paulo. No retorno à Itália, mais problemas, que lhe fizeram encerrar o contrato e buscar o retorno da felicidade de jogar no Flamengo.

Na Gávea, foi campeão brasileiro e retornou à Seleção. Após ter sido escolhido o melhor jogador do Brasileirão de 2009, voltou à Itália para jogar pela Roma. Um fiasco. Não marcou nenhum gol oficial. Voltou novamente ao Brasil, desta vez para atuar pelo Corinthians. Conviveu com problemas físicos e marcou apenas dois gols – um deles importante no título nacional corintiano. Após isso, as aparições ficaram mais raras e ele rescindiu com o clube paulista e acertou novamente com o Flamengo. Contudo, em maio a polêmicas, deixou a agremiação sem atuar em nenhuma partida oficial.

Em seguida, acertou com o Atlético-PR com a promessa de retomar a carreira, mas os problemas seguiram. Foram apenas quatro jogos e um gol, numa passagem conturbada. Depois disso, ele sumiu do mapa futebolístico. Vários clubes tentavam contratá-lo, mas sem sucesso. O Le Havre, da França, chegou a anunciar a contratação do centroavante. Contudo, por problemas com os franceses, o acerto melou.

No Miami United, ele chegou a atuar em duas partidas. Contudo, deixou os Estados Unidos sem maiores explicações, pondo fim à sua passagem no clube norte-americano.

Pela Seleção Brasileira, ele participou da Copa de 2006. Antes, foi artilheiro e melhor jogador da Copa América 2004 e da Copa das Confederações 2005.

Fonte: Bahia Notícias

Comentários