Várzea? Árbitro relata solada no tórax e xingamentos de dirigentes em jogo na Série B do Baiano

No último sábado (07), os times do Conquista e do Atlético de Alagoinhas se enfrentaram em uma partida válida pela 5ª rodada do Campeonato Baiano da Série B, no estádio Lomanto Junior em Vitória da Conquista. A partida terminou empatada pelo placar de 1 a 1 e manteve o time da casa na liderança da competição, com 11 pontos, enquanto os visitantes estão na 3ª com oito pontos.

Contudo, após a partida, o árbitro Emerson Ricardo de Almeida Andrade relatou acontecimentos lamentáveis na súmula. Inicialmente ele falou sobre a expulsão de um jogador atleticano por acertar a sola do pé no tórax do adversário.

“Expulsei aos 21 minutos do segundo tempo o senhor Francisco Hércules de Oliveira Silva, da equipe do Atlético, por, depois de ter trocado a bola, acertar com a sola da chuteira o tórax do seu adversário, senhor Luiz Cláudio Júnior. Informo que o atleta já tinha sido advertido anteriormente com cartão amarelo. O atleta que recebeu a falta precisou do atendimento médico e retornou ao jogo”, relatou.

Mas não parou por aí. O juiz também revelou que foi abordado e sofreu agressões verbais do presidente e do médico da equipe da cidade de Alagoinhas.

“Após o final da partida, a equipe de arbitragem foi abordada fora do campo de jogo, próximo à entrada dos vestiários, pelo senhor Raimundo Queiroz, presidente do Atlético, dizendo as seguintes palavras: ‘Você veio premeditado, ladrão, vagabundo, mau caráter, filho da p***, foi comprado pela diretoria do Conquista no hotel. Pode falar para Edinaldo que eu sei que você veio premeditado para roubar o Atlético e eu não tenho medo dele e nem da Federação’. No mesmo momento se dirigiu aos dois assistentes e o 4º árbitro e falou: ‘Vocês também são ladrões e vieram premeditados para roubar’. No mesmo momento o médico do Atlético, senhor Joaquim Belarmino Cardoso Neto, chegou falando: ‘Eu sou prefeito de Alagoinhas, vocês não apitam mais em Alagoinhas. Ladrões, filhos da p***, p** no c**, vagabundo’. Precisaram ser contidos pelo policiamento para que a equipe de arbitragem pudesse entrar no vestiário”, afirmou o árbitro em súmula.

Por Diário Esportivo

Comentários