Vampeta dará auxílio jurídico e o primeiro contrato profissional para “gato” da Copinha

“Meu nome é Heltton Matheus Cardoso Rodrigues”. Após mais de quatro dias sem dar notícias, o “gato” da Copinha enfim quebrou o silêncio nesta sexta-feira e tentou explicar os motivos que o levaram a usar outra identidade para atuar pelo Paulista de Jundiaí na Copa São Paulo de Futebol Júnior.

Em entrevista ao GloboEsporte.com, ao lado do “padrinho” Vampeta, o jogador descreveu os dias em que se isolou de todos e acompanhou as notícias envolvendo seu nome no noticiário em todo o Brasil.

– Foram dias de um fugitivo da polícia, de um bandido. Quem me conhece sabe da minha índole, não sou um assassino ou um ser humano que faz mal para os outros. Essa oportunidade que estou recebendo não me torna melhor do que ninguém, é apenas uma chance de poder mostrar que sou uma pessoa do bem.

São mais de dois anos atuando com registro falso. No período, o então Brendon Matheus realizou testes no Ceará, passou pelo América-RN e disputou a Copinha do ano passado pelo Nacional-SP. Heltton usava o registro de Brendon Matheus Lima dos Santos, um amigo dos tempos em que morava em São Gonçalo (RJ) e que agora cumpre pena em um presídio carioca.

O “gato” da Copinha se diz arrependido do que fez e espera que o amigo tenha a mesma sorte e possa ter uma nova chance na vida.

– Ele é meu amigo e espero que possa ser reintegrado à sociedade. Quem nunca errou? É um cara de bem, que foi vitima das más companhias. O local que morávamos não oferecia  o melhor – relata.

Vampeta será o grande aliado de Heltton em busca da retomada da carreira. O atual presidente do Audax dará auxílio jurídico e o primeiro contrato profissional para o jogador, que integrará, por enquanto, o elenco do Grêmio Osasco, time que disputa a Série A3 do Campeonato Paulista.

– O Vampeta está sendo incrível, me ajudando no momento em que mais necessito. Eu tinha tudo para dar errado, mas espero poder aproveitar essa chance e realizar o meu sonho, que é ser jogador profissional –  disse.

Heltton não pensa em ir até Jundiaí e visitar os antigos companheiros no Paulista, time que acabou eliminado por sua culpa da final da Copa São Paulo de Futebol Júnior. Segundo o jogador, o receio de como será recebido o impedido de ir até a cidade.

– Não penso em ir para Jundiaí neste momento, o clima na cidade não é bom para mim. Já me desculpei com o elenco e com quem deveria ter pedido desculpa. Tenho receio de aparecer na cidade, quem sabe daqui alguns anos eu possa ir para lá – revela.

Heltton deve começar a treinar nas próximas semanas no Grêmio Osasco. Ainda sem saber quanto tempo ficará impedido de jogar futebol, já que deve ser punido pelo Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) da Federação Paulista de Futebol (FPF), o jogador demonstra otimismo em sonhar em vestir a camisa da seleção brasileira.

– Meu sonho é de todo jogador: vestir a camisa da seleção brasileira. Tenho receio por conta da pena que possa vir a receber, mas vamos correr atrás disso para que eu consiga realizar o que quero como jogador de futebol – sonha Heltton.

Por Globoesporte.com

Comentários