TOP 10: Os maiores chapéus em contratações de jogadores brasileiros na história

Estava tudo certo entre clube e jogador: salários, tempo de contrato e exames médicos realizados. Mas, na última hora, em vez de ir para o clube A, o jogador é apresentado no clube B, muitas vezes deixando dirigentes e torcedores com o pires na mão.

Malcom no Barcelona foi só o mais recente: ao longo da História, houve vários casos de clubes levando chapéus em negociações praticamente sacramentadas. Veja abaixo uma lista dos mais clássicos chapéus envolvendo jogadores brasileiros em todos os tempos:

Malcom posa com a camisa do Barcelona Getty Images

1 – Malcom tem boca, mas não foi a Roma

Chapelada: Roma

Para onde foi: Barcelona

A Roma anunciou a contratação. O Bordeaux, que o vendia, chegou a confirmar o negócio por meio de seu perfil no Twitter, na noite de segunda, dia 23. Torcedores da equipe italiana foram ao aeroporto para recepcionar o reforço.

Tudo estava certo para que ele vestisse a maglia gialorossa. Mas, em 24 de julho, Malcom, ex-Corinthians, amanheceu blaugrana, por 41 milhões de Euros, frustrando os italianos.

2 – Fred preferiu vestir vermelho

Chapelado: Manchester City

Para onde foi: Manchester United

Fred era um dos destaques do Shakhtar Donetsk (da Ucrânia) e foi pretendido pelo Manchester City. O brasileiro chegou a receber uma ligação de Pep Guardiola, dizendo que gostaria de contar com seus serviços, e o negócio caminhou bem.

Pouco tempo depois, o Manchester United entrou na parada e José Mourinho não deixou por menos. Também falou com o brasileiro e conseguiu levar a melhor sobre o rival e fechar com o volante, em junho de 2018, em plena preparação para a Copa do Mundo.

Por achar que teria mais espaço nos Red Devils, Fred decidiu defender pelo lado vermelho de Manchester.

Dudu comemora gol com a camisa do Palmeiras Getty Images

3 – Dudu Chapéu na caçapa alviverde

Chapelados: São Paulo e Corinthians

Para onde foi: Palmeiras

A chegada do camisa 7 foi a primeira grande contratação da “Era Alexandre Mattos’ como diretor do Palmeiras.

Por semanas, o ex-jogador do Grêmio e Dynamo de Kiev foi ligado tanto ao Corinthians quanto ao São Paulo. Enquanto os rivais se digladiavam, o Palmeiras corria por fora.

Dudu chegou a acertas as bases contratuais com o clube da Zona Leste. Mas o Corinthians desistiu. Depois, foi o São Paulo. O acerto ficou bem próximo de ser oficializado.

Mas Mattos entrou na história. O dirigente praticamente sequestrou o jogador e o seu agente na Academia de Futebol alviverde. Foram 12 horas de negociação. Até que, na manhã de um sábado, 11 de janeiro de 2015, o Palmeiras anunciou a contratação, frustrando seus maiores rivais e enchendo os palmeirenses de orgulho.

4 – Willian viu a luz

Chapelado: Tottenham

Para onde foi: Chelsea

Em agosto de 2013, Willian havia acertado com o Tottenham e era esperado pelos dirigentes para fazer exames médicos e assinar contrato com os Spurs. O Chelsea, porém, entrou no meio da negociação e “furou os olhos” de um dos seus maiores rivais. Em poucos dias, os Blues contrataram o ex-jogador do Corinthians, que defendia o Anzhi, da Rússia.

“Era o melhor momento da minha vida quando assinei com o Chelsea. Sempre tive o sonho de jogar aqui. Foi difícil ligar para lá (Tottenham), mas pedi desculpas. Não tinha assinado nada”, afirmou o jogador, ao canal do YouTube do Chelsea.

O chapéu virou uma canção dos torcedores do Chelsea, que tiraram o sarro da situação. “Esses m… dos Spurs, eles pagaram o voo, mas o Willian o viu a luz. Ele recebeu uma ligação de Abramovich e então chegou ao Stamford Bridge. Ele odeia o Tottenham, ele odeia o Tottenham”.

5 – Neymar e o sonho de criança

Chapelado: Real Madrid

Para onde foi: Barcelona

Wagner Ribeiro, então agente do jogador, tinha um acordo antigo com o Real Madrid para que Neymar seguisse para o clube quando deixasse o Santos.

Segundo o agente, a proposta madridista era maior e o plano de carreira para ele nos merengues era mais consistente. O jogador era dado como certo.

Em setembro de 2011, segundo o jornal O Estado de S. Paulo, Neymar viajou para a capital espanhola e fez exames médicos. Mas pesou a preferência dele, que sonhava jogar no Barcelona, ao lado de Messi. E assim foi feito.

6 – Ricardo Goulart deixou Kalil pra trás

Chapelado: Atlético-MG

Para onde foi: Cruzeiro

No fim de 2012, o Cruzeiro apalavrou a ida de Ricardo Goulart, então destaque do Goiás, para a Toca da Raposa.

Pouco depois, o Atlético-MG atravessou a negociação com o suporte financeiro do banco BMG. O presidente Alexandre Kalil chegou a demonstrar otimismo com a vinda do jogador.

No fim prevaleceu o acordo da equipe celeste com o empresário do jogador.

Ronaldinho Gaúcho em jogo pelo Flamengo contra o Coritiba Getty Images

7 – Ronaldinho e as caixas de som do Olímpico

Chapelado: Grêmio

Para onde foi: Flamengo

Grêmio, Flamengo e Palmeiras disputaram a contratação do Bola de Ouro por meses, entre o fim de 2010 e o começo de 2011.

Emissários dos três clubes viajaram a Milão para negociar com o Milan. Assis, irmão e procurador do meia, participou de inúmeros almoços e jantares com procuradores dos três clubes.

O Palmeiras foi o primeiro a desistir. Confiando na ligação emocional do jogador, o Grêmio chegou até mesmo a instalar o esquema de som para a festa de apresentação do jogador no Estádio Olímpico.

Mas Ronaldinho fechou com o Flamengo, onde jogou por duas temporadas e fez 28 gols em 72 partidas, tornando-se persona non grata no clube que o revelou – e em metade do Rio Grande do Sul.

8 – Robinho pedalou para Manchester

Chapelado: Chelsea

Para onde foi: Manchester City

Em 2008, Robinho queria sair do Real Madrid e ir jogar no Chelsea com o treinador Luis Felipe Scolari. O negócio estava quase sacramentado e os Blues chegaram a colocar uma camisa do jogador em uma pré-venda.

Irritada com a situação, a diretoria merengue resolveu suspender a venda para um rival de Champions League e negociar o brasileiro com o emergente Manchester City por 43 milhões de euros, quase no fim da janela de transferência da Europa.

O jogador ficou tão atordoado coma situação que cometeu uma gafe ao chegar à Inglaterra: “O Chelsea fez uma proposta boa para mim, boa para o Real Madrid e acabei por aceitar”, disse o jogador, alertado depois por um jornalista: “O Chelsea, não, o Manchester. Perdão.”

9 – Richarlyson pulou o muro e nem olhou pra trás

Chapelado: Palmeiras

Para onde foi: São Paulo

Richarlyson durante jogo do São Paulo contra o São Caetano Gazeta Press

Em 2005, o jovem volante Richalyson estava em litígio com o Santo André e forçava, na Justiça, uma transferência para o Palmeiras. Ele chegou até mesmo a fazer exames médicos no clube alviverde.

Mas o São Paulo atravessou o negócio e fez o jogador pular o muro. Ricky, como ficou conhecido em sua passagem pelo Tricolor, ficou no clube do Morumbi até 2010.

Nesse período, foi para a seleção brasileira, conquistou três campeonatos brasileiros e o Mundial de 2005, muito embora tenha sido injustamente perseguido por parte da torcida.

10 – Sócrates e a esperteza de Vicente Matheus

Chapelado: São Paulo

Para onde foi: Corinthians

Sócrates era um dos jogadores mais cobiçados pelos grandes clubes do Brasil. Em 1978, o São Paulo chegou a acertar a vinda do meia do Botafogo de Ribeirão Preto e pediu uma semana para juntar o dinheiro para a compra do passe.

O Corinthians também queria o atleta e ficou sabendo desta situação. O presidente corintiano fingiu se interessar pela aquisição do são-paulino Chicão só para atrasar o negócio do rival. O Tricolor Paulista achou que poderia comprar Sócrates com o dinheiro da suposta venda.

Enquanto um dirigente corintiano negociava a falsa vinda de Chicão, o presidente Vicente Matheus viajou para Ribeirão Preto e comprou aquele que seria um dos idealizadores da democracia corintiana.

Por ESPN.com.br

Comentários