Tite diz sim à CBF e assinatura depende de ajustes na rotina de trabalho

O técnico Tite aceitou a proposta da CBF de continuar no comando da Seleção Brasileira até a Copa do Mundo de 2022, no Catar. No último Mundial de 2018, o Brasil foi eliminado nas quartas de final após perder para a Bélgica. A assinatura do contrato depende de ajustes na rotina de trabalho e o novo compromisso será formalizado pelo empresário do treinador, Gilmar Veloz.

O coordenador Edu Gaspar trabalha normalmente na sede da entidade máxima do futebol brasileiro. Ele era uma das condições para que Tite seguisse à frente do time Canarinho. Edu tem de preparar a agenda de amistosos de 2018 da equipe. Dois já estão definidos, o primeiro será contra os Estados Unidos, em Nova Jersey, no dia 7 de setembro, e o segundo, quatro dias depois diante de El Salvador, Washington, capital norte-americana. Porém, este último ainda não tem contrato assinado e por isso ainda não foi confirmado pela CBF.

Na negociação de renovação de contrato de Tite foram discutidos em reuniões o esquema de observação de jogadores, número de membros da comissão técnica. A delegação da será menor nesses próximos amistosos do que na Copa do Mundo. No entanto, a comissão deverá aumentar para a disputa da Copa América de 2019, no Brasil. A conquista do torneio é prioridade inicial para o novo ciclo de Tite. Desde 2007 que a Seleção não é campeã e, nas últimas três edições, sequer chegou à semifinal.

Por Bahia Notícias

Comentários