Suposta irregularidade de jogador do Goiás pode mudar acesso e rebaixamento do Brasileirão

Uma suposta irregularidade no registro do lateral-direito Ernandes pode mudar o rebaixamento de um dos times da Série A e o acesso de outro da Série B. Ernandes fez um jogo pelo Ceará na Série A (derrota para o Santos, na primeira rodada) e 31 jogos pelo Goiás na Série B. Se o STJD entender que esses clubes devem ser punidos por uma suposta escalação irregular de Ernandes, o Ceará seria rebaixado no lugar do Sport, e a Ponte Preta subiria na vaga do Goiás.

A informação sobre a suposta irregularidade na escalação de Ernandes foi divulgada pelo repórter Pedro Orioli, da Rádio Central de Campinas. A Ponte Preta confirmou ao GloboEsporte.com que estuda a melhor forma de usar essas informações.

Ernandes subiu com o Goiás à primeira divisão do Brasileiro — Foto: Rosiron Rodrigues / Goiás E.C.

Procurado, o departamento de registros da CBF informou que até o momento “não recebeu nenhum pedido de informações sobre o caso”.

Pelas informações no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF e no site oficial do Goiás, Ernandes Dias Luz nasceu em 11 de novembro de 1987, mas uma certidão no segundo cartório de São Félix do Araguaia-MT, onde o jogador nasceu, consta uma data diferente: 11 de novembro de 1985. Ernandes seria, portanto, dois anos mais velho do que a documentação oficial mostra – “gato”, como se diz na gíria do futebol.

Ernandes, atualmente, é atleta do Goiás, mas jogou a Série A deste ano: fez uma partida pelo Ceará, na primeira rodada: derrota por 2 a 0 para o Santos, no Pacaembu. Com isso, se o STJD entender que o Ceará tem de ser punido pela escalação do “gato”, o clube cearense perderia três pontos (independentemente de não ter somado ponto algum no jogo), caindo de 44 para 41 pontos, sendo rebaixado no lugar do Sport, que somou 42.

O artigo 214 do CBJD (Código Brasileiro de Justiça Desportiva) prevê, em caso de escalação de atleta em situação irregular: perda do número máximo de pontos atribuídos a uma vitória no regulamento da competição, independentemente do resultado da partida, prova ou equivalente, e multa de R$ 100,00 (cem reais) a R$ 100.000,00 (cem mil reais).

– Não tem sentido, caso haja irregularidade nos documentos, os clubes serem punidos. Não há necessidade de estudar isso juridicamente – diz Marcelo Segurado, gerente de futebol do Ceará.

O Sport, que seria o maior beneficiado numa evenual punição ao Ceará, se manifestou via Klauss Câmara, executivo de futebol:

– O Sport, antes de qualquer coisa, acredita nas instituições que regulamentam o futebol. Temos certeza de que isso será apurado e, caso tenha algo errado, as medidas serão tomadas. A princípio, nós iremos esperar o que acontecerá nesse desenrolar.

Goiás se exime de culpa

O Goiás afirma que tomou conhecimento nesta segunda-feira, por meio da imprensa, de uma suposta fraude em documento pessoal de Ernandes. A diretoria esmeraldina se exime de qualquer culpa no que se refere a possíveis irregularidades e garante que a inscrição do atleta junto à CBF está em conformidade com os dados apresentados por ele.

De acordo com Túlio Lustosa, gestor de futebol do Goiás, a diretoria acionou seu departamento jurídico e não teme sofrer qualquer tipo de punição. O clube entende que, mesmo que seja comprovada alguma fraude, a mesma não é de responsabilidade da agremiação.

 

– Estamos resguardados. O Goiás possui toda a documentação que comprova a inscrição regular do jogador. Se existe algo de errado em um documento pessoal, não temos culpa. Não podemos duvidar do atleta quando ele nos apresenta um documento – diz o dirigente do Goiás.

Ponte estuda o que fazer

O caso de Ernandes despertou interesse da Ponte Preta, que ficou em quinto lugar na Série B e perdeu a vaga no G-4 para o Goiás no número de vitórias. Uma punição ao time esmeraldino poderia, portanto, favorecer a Macaca.

Procurada pela reportagem do GloboEsporte.com, o departamento jurídico da Ponte Preta mostrou desconhecimento do caso, mas disse em nota que busca maneiras de verificar a informação antes de tomar alguma medida.

– A Ponte Preta informa que foi pega de surpresa em relação à notícia divulgada nesta tarde pela imprensa sobre uma suposta irregularidade de um atleta do Goíás. A Macaca está buscando informações e documentos a respeito para se embasar melhor e verificar, primeiramente, a veracidade da informação e – em seguida – definir os próximos passos e quais medidas serão tomadas. Assim que isso ocorrer, o Departamento Jurídico irá se pronunciar a respeito do caso – diz a Ponte, em nota à imprensa.

A reportagem também fez contato com a assessoria de imprensa do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), que disse que o órgão não recebeu nenhuma denúncia até o momento e, portanto, não é possível se pronunciar oficialmente sobre o caso.

O Goiás também foi procurado. De acordo com o gestor Túlio Lustosa, o clube soube da informação pela imprensa e não foi notificado. A diretoria tentou entrar em contato com o Ernandes, mas ainda não conseguiu. Mesmo assim, o departamento jurídico já foi consultado e garantiu que o clube está resguardado. Uma eventual punição, segundo o Goiás, seria ao atleta e não afetaria o clube.

Por Globoesporte.com

Comentários