Sob risco de perder pontos, Chapecoense diz que escalação de zagueiro foi legal

Foto: Getty Images

A vitória da Chapecoense por 2 a 1 sobre o Lanús, na noite de quarta-feira (17), manteve a equipe viva na Copa Libertadores, mas o resultado do confronto no Estádio La Fortaleza acabou ficando em segundo plano diante do imbróglio envolvendo a condição do zagueiro Luiz Otávio, exatamente o autor do gol do triunfo.

Luiz Otávio foi expulso no compromisso anterior da Chapecoense, a derrota para o Nacional do Uruguai, fora de casa, mas cumpriu a suspensão automática no confronto com o Atlético Nacional pela Recopa Sul-Americana. O problema é que o zagueiro teria sido suspenso por três partidas, além de multa, antes do compromisso na Argentina pela Conmebol.

A Chapecoense alega, no entanto, que não foi informada formalmente da punição.

“Estamos convictos da nossa decisão. O jogador que entrou em campo estava dentro do regulamento e não temos nada a declarar além disso. Estamos tranquilos com essa decisão, que foi minha como presidente do clube”, afirmou o presidente da Chapecoense, Plinio David de Nes Filho, em entrevista coletiva após o compromisso.

Por enquanto, a Conmebol não se manifestou oficialmente sobre uma possível punição ao time catarinense. Deixando de lado o imbróglio, a Chapecoense ocupa o terceiro lugar do Grupo 7 da Libertadores com sete pontos, mas só depende das suas forças para avançar às oitavas de final na rodada final da chave, na próxima terça-feira (23), quando o time vai receber o venezuelano Zulia.

No próximo sábado (20), às 19h, a Chapecoense vai encarar, também na Arena Condá, o Palmeiras, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro.

Por Estadão Conteúdo

Comentários