Presidente do Atlético de Alagoinhas celebra boa fase do time: ‘Não é surpresa’

Com o triunfo por 2 a 0 , sobre o Jacobina, neste domingo (10), o Atlético de Alagoinhas engatou a 3ª vitória seguida e entrou no G-4 do Campeonato Baiano. Nada que surpreenda o presidente do clube, Raimundo Queiroz. Para o dirigente, o Carcará foi superior aos adversários em toda a competição.

Presidente do Atlético elogia equipe | Foto: Gabriel Rios / Bahia Notícias

“Pelo o que a equipe vinha jogando, isso não é surpresa para a gente. Porque todos os jogos que nós fizemos do primeiro até o último agora, a gente foi nitidamente superior aos adversários. O único jogo que foi muito igual foi contra o Bahia, aqui em Alagoinhas, mas o Atlético ficou com um jogador a menos aos 15 ou 20 minutos do segundo tempo, porque Lira já tinha mexido as três e Rafael Granja machucou. O único jogo igual foi esse, até o de Feira de Santana que perdemos para o Fluminense com a falha do goleiro, tivemos quase 70% da posse de bola. Em Salvador contra o Vitória, nós tivemos mais posse de bola e merecemos a vitória lá”, apontou em entrevista ao Bahia Notícias.

Restando apenas uma rodada para completar a primeira fase, a competição segue embolada. A distância entre o líder Bahia de Feira e o 5º colocado Bahia é de apenas três pontos. Com isso, Queiroz espera contar com o apoio da torcida no Carneirão, no domingo (17), às 16h, contra o Jacuipense.

“Não tem nada definido, só vai definir na última rodada. Até o próprio Bahia de Feira, que está na frente com 15 pontos não está garantido ainda, porque o Bahia briga por trás e pode conseguir vencer e entrar na briga. Então, cabe a gente fazer um bom jogo. Vamos pedir uma carga de 10 a 11 mil torcedores no estádio para a gente ver se consegue fazer um bom jogo e se classificar. Para nós é interessante, porque o time vem da segunda divisão, onde passamos quase quatro anos, e retornando já disputando a semifinal, se conseguir. É interessante também para a gente ter um calendário para o ano que vem”, explicou.

Durante a competição, o técnico Arnaldo Lira criticou algumas vezes a tabela da competição, por o Atlético ter jogado mais partidas longe dos seus domínios. No entanto, Queiroz viu com naturalidade, já que o Carcará veio da Série B.

“É o regulamento. Como a gente só tem dez clubes na competição e o Atlético como vinha da segunda divisão, tinha que acontecer isso mesmo. Não reclamo disso não. Acho até que o próprio Bahia, que foi campeão baiano no ano passado, só fez quatro em casa e cinco fora. Então, alguém tinha que pagar por isso e como o Atlético vinha da segunda, achei que foi normal. Não tive nenhum tipo preocupação com isso não. O Atlético vai encerrar em casa com amplas chances de classificar”, concluiu.

O Atlético ocupa a 4ª colocação com 13 pontos conquistados. Um triunfo o garante na próxima fase.

Por Leandro Aragão / Gabriel Rios

Comentários