Pasmem! FBF quer que os profissionais lavem os coletes de trabalho após o uso

“Pense num absurdo, na Bahia tem precedente”, a conhecida frase do ex-governador do estado da Bahia, Otávio Mangabeira, parece ser cada vez mais atual quando se trata da FBF (Federação Bahiana de Futebol).

Não é novidade que o futebol baiano é um prato cheio para quem gosta de fatos inusitados.  Mas agora, extrapolou todos os limites. Isso porque, após cada partida, os delegados da federação ficarão responsáveis pela lavagem dos coletes de imprensa, quadro móvel e gandula. Isso mesmo: os delegados terão que lavar os coletes de trabalho.

Em contato com o Galáticos Online, por telefone, Silvio Mendes Júnior, funcionário da federação, desmentiu o fato e informou que a instituição conta com uma lavanderia exclusiva para a lavagem dos coletes.

“Não temos essa informação. Isso para mim é novo. Nós temos a lavanderia aqui na FBF para lavar os coletes”.

No entanto, segundo uma denúncia de um preposto da FBF, enviada ao site, o presidente da entidade, Ednaldo Rodrigues, comunicou aos profissionais que a partir do próximo domingo a responsabilidade seria deles pela limpeza do material. Inclusive, o próprio Silvio Mendes teria se reunido com os delegados na sexta-feira para tratar do assunto.

Ainda de acordo com a denúncia, Ednaldo paga R$ 80 reais de transporte para os delegados se locomoverem até o estádio. Desse valor, o funcionário teria que providenciar a manutenção do material de trabalho.

Ao invés de se preocupar com a situação dos times baianos: Vitória rumo à Série B, Juazeirense rebaixada para Série D, o Intermunicipal entrando em decadência e o Campeonato Baiano em uma lástima de renda e público, Ednaldo quer “cortar gastos” com higienização dos uniformes.

Para completar o cúmulo do absurdo, o elevador do prédio da Federação Bahiana de Futebol, doado pelo governo do estado, na época, para todas as federações amadoras, serve apenas para FBF. Quem tem salas no 1ª e 2º andar do prédio não pode subir, pois o ascensorista é da federação e não permite que ninguém utilize. O prédio é de todos, porém, apenas a FBF tem acesso ao elevador.

Confira o comunicado de um preposto da federação, via WhatsApp, para os delegados. Vale destacar a grande quantidade de erros de português contidos na mensagem.  Por Redação Galáticos Online

Comentários