Ong Amar fatura o título da segunda divisão de forma invicta em Itamaraju

Itamaraju – Antes de debruçarmos no assunto propriamente dito, gostaria de informar a aqueles os quais leem nossas matérias, o significado da sigla, ONG AMAR. ONG AMAR quer dizer, Amigos do Marotinho. Trata-se de uma organização não governamental, fundada por Vadinha, Nery, Cheiro, dentre outros.

No esporte, onde quer que a bola role, seja no campo ou na quadra, só dá ONG AMAR. O também clube de futebol ONG AMAR, veio para o ano de 2018 com o propósito de ganhar tudo que envolve bola. E não é que deu. Primeiro ganhou a Copa Verão (Soceity), na sequência a Copa Galhardo Tamandaré (Futsal) e por fim o Campeonato Municipal da segunda divisão (campo).

Foram três títulos em pouco mais de trinta dias. Todavia, o de domingo (2ª divisão) é muito mais relevante do que os demais, haja vista que esse foi um acesso que lhe dá o direito a disputar a elite (1ª divisão) do ano vindouro.

A equipe campeã (Ong Amar) deste domingo foi montada a dedo. Além dos bons valores (jogadores) da casa, trouxe ainda peças importantíssimas de Municípios vizinhos, principalmente para suprir as lacunas deixadas por Vitamina e Tripa, ambos servindo a seleção.

Trata-se de um time leve que não deu qualquer chance para concorrência. Pois dos seis jogos em que disputou, empatou apenas o último da primeira fase, justamente contra o mesmo adversário da final. É uma equipe forte que começa de trás para frente, ou seja, desde o goleiro (Dorval) que vive ótima fase, ao seu ataque. Quando o ataque perde (gol), o Dorval (goleiro) evita lá na retaguarda.

Quanto ao seu adversário o Jacy Rocha, também tem um bom time não resta dúvida, porém não tão qualificado quanto. Após estar perdendo, bem que a equipe teve a sua chance de empatar a partida através de um pênalti cometido pelo zagueiro gordão, oportunidade que foi desperdiçada pelo velho e bom Vanzinho que bateu fraco para uma ótima defesa do arqueiro Dorval. E como se diz no futebol, quem não faz leva, acabou levando o segundo (gol), aos 21 minutos da etapa final, tento assinalado pelo Emerson. Se perdendo de um já estava complicado, perdendo de dois então, era quase que impossível. Mas para quem disputaria um acesso à segunda divisão do ano que vem e hoje estar de volta à elite (1ª divisão), não tem o que reclamar.

Agora só nos resta aguardar o que de bom, ONG AMAR e Jacy Rocha trarão de novidade para o ano que vem. Afinal, trata-se do máximo do futebol de Itamaraju, a primeira divisão. Final de jogo ONG AMAR 2 x 0 Jacy Rocha.

Ficha técnica:

Jacy Rocha jogou e perdeu com: 01-Marcelo; 02-Baby, 03-Celo, 04-Pagode (14-Leandro) e Vadão; 05-Pithula (15-Jhone), 18-Regi, 08-Vanzinho e 11-Valber; 10-Vitor (08-Rone) e 16-Rubão (07-Thiago).

Suplentes: 12-Rique, 13-Erinho, 14-Leandro, 15-Jhone, 17-Cristian, 07-Thiago e 08-Rone. Técnico: Tonho (Paraguai).

ONG Amar jogou e venceu com: 01-Dorval; 20-Danilo, 30-Gordão, 04-Finho e 06-Marcos Paulo (19-Valteir); 05-Jandinho, 07-Negon (15-Dedel), 02-Burguesa (18-Ranieri) e 10-Cleiton (09-Daniel); 08-Emerson (17-Poetinha) e 11-Vinny.

Suplentes: 09-Daniel, 14-Paulo Vitor, 15-Dedel, 17-Poetinha, 18-Ranieri e 19-Valteir.

Gols: Cleiton aos 34 do 1º T’ e Emerson aos 21 minutos do 2º T”. Técnico: Dão.

Não poderia passar em branco mais uma homenagem ao saudoso Galhardo. Homenagem, diga-se de passagem, merecidíssima prestada pelos seus pupilos (árbitros). Alguns inclusive, utilizava-se de uma camisa, cuja estampa afrente tinha a foto do saudoso.

 

A arbitragem ficou a cargo da ADAFI, consoante abaixo.

Árbitro: Heliomar Dias Santos/ADAFI/Itamaraju

Assistente 01: Uelton Bispo Bonfim /ADAFI/Itamaraju

Assistente 02: Alex Alan Santos/ADAFI/Itamaraju

4º Arbitro: Dorival Ilario Jesus/ADAFI/Itamaraju

5º Arbitro: Cosme Domingues de Jesus/ADAFI/Itamaraju

6º Arbitro: Ubaldo Santos Tamandaré/ADAFI/Itamaraju

Criterioso como sempre, o Heliomar levou o jogo numa boa, desde o inicio ao termino da partida. Seus dois assistentes bem como os outros três de fora das quatro linhas fizeram também um bom trabalho.

Por Antônio Reis Viana/Os Feras da Bola

Comentários