Maradona líder, Pelé em 2º e Ronaldo atrás de Klose: veja a polêmica lista de maiores das Copas

Maradona e Pelé cumprimentam-se em evento em Paris em junho de 2016 Getty Images

Listas no futebol costumam, por natureza, serem polêmicas. Quando a temática é Copa do Mundo, tal repercussão só aumenta. E não foi diferente com a relação de 25 nomes publicada pela revista inglesa FourFourTwo quanto aos maiores jogadores que já disputaram um Mundial.

Confira a relação inteira, com alguns dos trechos mencionados ao top 5:

25 – Gary Lineker (Inglaterra)

24 – Roger Milla (Camarões)

23 – Rivaldo (Brasil)

22 – Paolo Maldini (Itália)

21 – Jarzinho (Brasil)

20 – Eusébio (Portugal)

19 – Lothar Matthäus (Alemanha)

18 – Michel Platini (França)

17 – Xavi (Espanha)

16 – Ferenc Puskas (Hungria)

15 – Fabio Cannavaro (Itália)

14 – Carlos Alberto Torres (Brasil)

13 – Paolo Rossi (Itália)

12 – Lev Yashin (União Soviética)

11 – Ger Müller (Alemanha)

10 – Johan Cruyff (Holanda)

9 – Zinedine Zidane (França)

8 – Just Fontaine (França)

7 – Garrincha (Brasil)

6 – Cafu (Brasil)

  1. Franz Beckenbauer

A revista lembrou que o Kaiser foi, no mínimo, terceiro colocado nas três Copas do Mundo que disputou – 1966, 1970 e 1974 – e se refere a ele como “um elegante e refinado líbero em uma era em que campos e arbitragens permissivas fizeram as coisas mais difíceis (John Stones seria comido vivo)”.

O alemão, dono de um “potente finalização de longa distância”, foi o capitão de seu time na segunda conquista de seu país em 1974, superando na decisão a Holanda de Johan Cruyff.

  1. Ronaldo

Ronaldo poderia ter três medalhas de campeão do mundo, não fossem “os estranhos acontecimentos da véspera da final em 1998”, pontua a publicação, que enfatiza a grande participação dele em 1998 e também em 2002, quando “foi o melhor jogador do mundo – com ritmo, poder e colocando medo nos adversários”.

A FourFourTwo ainda lembra de como o Fenômeno foi “brilhante” na Coreia do Sul e no Japão, mencionando o corte de cabelo à la Cascão e a recuperação de uma séria lesão que ele passou antes do torneio.

  1. Miroslav Klose

“Eles podem chamar Ronaldo de ‘Fenômeno’, mas é Klose quem é o real fenômeno”, traz o texto da publicação inglesa, que enfatiza o fato de o atacante ter se tornado o maior artilheiro em Copas, com 16 gols, um a mais do que Ronaldo. A FFT ainda destaca o fato de o alemão ter sido o único atleta na história da competição a participar de quatro semifinais consecutivas.

“Não havia nada particularmente memorável no jogo do ex-atacante de Lazio e Bayern de Munique, mas o torneio parecia fazê-lo vir à vida.”

 

  1. Pelé

“Ele marcou oito milhões de gols pelo Santos, mas a reputação global de Pelé foi construída em suas performances na Copa do Mundo.”

A revista destacada enfatizou os feitos dele com apenas 17 anos no título do Brasil em 1958. Apesar de todos os elogios, a publicação diz que “impropriamente, para alguém que marcou 12 gols em Copas do Mundo, seus dois momentos mais icônicos são chances perdidas”, referindo-se ao belho drible no goleiro Ladislao Mazurkiewicz e a finalização para fora, assim como o seu cabeceio parado de forma milagrosa por Gordon Banks, diante da Inglaterra.

  1. Diego Maradona

Ao colocar o argentino no topo, a revista pontuou sobre a eterna discussão sobre quem foi melhor: Pelé ou Diego Maradona. “É um velho argumento, e aqui ele está de novo: Pelé pode ter vencido mais Copas do que Maradona, mas ele nunca comandou, driblou e levou sozinho um time à glória como o pequeno argentino fez em 1986”.

A FFT ainda argumenta que a Fifa fez uma enquete pública em 2000 para determinar o melhor jogador do século 20, a qual El Pibe venceu com mais de 60% dos votos, “mas alguém em Genebra claramente pensou que coroar um antigo viciado em cocaína, acima do peso e com uma queda por malandragem era um pouco demais para a Fifa”.

Fonte: ESPN.com.br

Comentários