Jornal britânico afirma que Catar sabotou candidaturas rivais para sediar Copa de 2022

O Catar sabotou as candidaturas concorrentes para sediar a Copa do Mundo de 2022. Pelo menos é o que afirma o jornal britânico “The Sunday Times”. Os rivais foram Austrália e Estados Unidos, além da Inglaterra que aparecia com menos força no páreo.

De acordo com a reportagem, diversos documentos foram fornecidos por uma fonte que fez parte do Comitê da candidatura do Catar. Esses documentos comprovam o plano arquitetado pelos qataris para difamar os adversários com informações falsas.

A prova mais concreta seria um e-mail chamado “Estratégia”, que foi enviado por Michael Holtzman, presidente da “BLJ Worldwide” – empresa contratada para comandar a candidatura do país árabe. O e-mail foi endereçado a Ahmad Nimeh, um dos chefes da campanha Qatar 2022.

“De acordo com os e-mails, eles recrutaram jornalistas, blogueiros e outras figuras para circular histórias negativas, espionar rivais, espalhar notícias inteligentes para pessoas chaves e criar protestos”, explica a denúncia, segundo o GloboEsporte.com.

Ainda de acordo com a reportagem, um trecho do e-mail enviado em maio de 2010 diz o seguinte: “Nos últimos quatro meses, nós comandamos uma extensa campanha para minar as candidaturas rivais para a Copa de 2022, em particular Austrália e Estados Unidos”.

O Catar também teria contratado um professor americano para que publicasse um estudo informando o impacto negativo que uma Copa do Mundo teria nos EUA. Vale lembrar que uma das exigências da Fifa na escolha é o apoio popular no país.

O jornal britânico informou que tentou entrar em contato com os chefes da candidatura do Catar, mas não houve resposta. Entretanto, os qataris se defenderam das acusações.

“O Comitê Supremo rejeita qualquer alegação publicada pelo The Sunday Times. Nós fomos minuciosamente investigados e fornecemos todas as informações relacionadas à nossa campanha. Nós seguimos à risca todas as regras da Fifa no processo de candidatura para sediar a Copa do Mundo de 2022”, informou.

Por Bahia Notícias

Comentários