Jacuipense acusa maus-tratos da prefeitura de Riachão e ameaça extinguir time profissional

Sales é presidente do Jacuipense| Foto: Glauber Guerra / Bahia Notícias

O Jacuipense vive uma situação calamitosa. Após o desabafo feito pelo técnico Clebson Beleza, pela falta de campos para treinar, o presidente do clube, Felipe Sales, também demonstrou descontentamento com o atual momento vivido pela agremiação. O dirigente disse que há riscos de extinguir o departamento de futebol profissional do Leão do Sisal, e criticou a postura da prefeitura local. “A gente não quer sair, mas se não encontrarmos condições necessárias, e o município continuar sem dar apoio, existe uma grande possibilidade em repensarmos a continuidade do futebol profissional também. Estamos sendo maltratados pela atuação gestão e as pessoas de fora já estão percebendo isso. Isso não pode acontecer em nossa cidade. Se a atual gestão não quer ajudar, não pode atrapalhar”, desabafou, em entrevista ao Bahia Notícias. Sales ainda garantiu ter recebido uma proposta para jogar o restante do estadual em Senhor do Bonfim. No entanto, a vontade é de permanecer em Riachão. “Nós recebemos alguns convites diante desse quadro. Mas ainda não cogitamos deixar Riachão. Queremos, na verdade, ficar aqui. Temos um compromisso com o torcedor, com a cidade e com os comerciantes”, revelou. Há uma situação de indefinição em relação ao mando de campo do clube. Após o empate em 0 a 0 contra o Bahia, a Federação Bahiana de Futebol (FBF) anunciou que o Jacuipense teria que atuar a partir de agora em Pituaçu. Contudo, Felipe Sales afirmou não ter condições financeiras de arcar com os custos de atuar em Salvador. No estadual, o próximo jogo do Leão acontecerá neste domingo (12). O adversário será o Fluminense de Feira, às 16h no Joia da Princesa, pela terceira rodada do Baianão.

Por Matheus Caldas

Comentários