A história do Motocross em Teixeira de Freitas, entre “razões e emoções”

Teixeira de Freitas – A semente do Motocross surgiu em Teixeira de Freitas lá pelos idos de 1982, quando Alex Assis ganhou do seu pai uma bicicleta modelo BMX, a qual despertou nele o “germe” dos esportes radicais , ele não perdeu tempo e logo montou um grupo de garotos para praticar o bicicross, formado por, Ivan, Mirin , Ricardo, Leo Brito,  Bábi , Rogerio, Ronivon(véi) e varios outros. Essa Turma usava as ruas e praças da cidade, como palco para extravasar suas habilidades em cima de suas bikes. Então não demorou muito tempo para surgir no grupo mais um integrante despertando outra habilidade nos garotos dos anos 80, o Sandro Ferreguett , que em vez de uma bicicleta, apresentou ao grupo, uma moto Yamaha TT 125, que foi trocada posteriormente por uma XL 250/1982 que foi usada como instrumento para os primeiros “voos” em direção ao motocross.

Depois de muitas trilhas, empinadas e aventuras, Leccross e Ferreguett já tinham o foco voltado para o motocross. Em 1987 empreenderam o sonho de construir uma pista para treinos , mas , diante da falta de recursos eles improvisaram uma área da biquinha, no Bairro Colina Verde.

Passaram a treinar todos os sábados e domingos, isso foi atraindo mais praticantes, a exemplo do Rodolfo (TT 125), o mecânico Ely Bredof (DT 180), Kakau da quitanda (Xzelão 250), diante do enorme sucesso que esses treinos faziam , atraia uma multidão de espectadores, e logo tiveram que mudar o local para comportar todo publico e os novos praticantes do esporte.

Foi construída uma pista mais elaborada ao lado do posto dois irmãos, na Avenida São Paulo, para a prática do esporte tão amado e foi lá que o MotoCross viveu seus anos dourados, atraindo cerca de 2 a 3 três mil pessoas nos finais de semanas de treinos e corridas que lotavam todo espaço disponível no entorno da pista e eternizou na memoria dos Teixeirenses nomes como Ferreguett, Marcão, Zinho, Bél, Bredof, Railton, Kakau, Bacalhal e Leccross.

Em 1997 depois de um período de Ostracismo, o MotoCross ressurge das cinzas como uma fênix e com novos integrantes como Ramon Ramalho, Gustavo e Rodrigo GF nosso esporte ganha forças e brilha novamente ate 2002 quando tem mais um período de esquecimento e , novamente, já no ano de 2005, motivados pelos apelos constantes da população que aprendeu a admirar esse esporte lindo e emocionante, os irmãos GF, Zinho e Leccross reerguem o motocross mais uma vez.

Tivemos um piloto por nome Linho, era atração na época com suas manobras radicais.

E nesse período de 2006/2007/2008 com o grande apoio dos irmãos GF o MotoCross Teixeirense tem um dos seus melhores momentos, com a determinação e os recursos financeiros disponíveis, o esporte vislumbrava um futuro maravilho, mas então, um dos maiores baques que o esporte regional poderia ter, aconteceu. Perdemos o Gustavo GF.

Um dos maiores incentivadores do Motocross da nossa região morre em um acidente de avião no domingo do dia 22 de março de 2009.

Diante da tristeza e do pesar, sentindo o risco que o esporte corria na nossa região, Leccross, Dilsinho DS Tech, Nanan e Gilvan Motos, de maneira discreta e contínua, mantem o trabalho de apoio e incentivo ao MotoCross local. E mais uma vez os bons ventos do MotoCross sopram em favor do esporte.

O secretário de esporte e lazer Fernando Melo (Fernandão) quando assume o cargo, entra em contato com Leccross e disponibiliza apoio para o MotoCross, viabilizando a construção de uma das melhores pistas de MotoCross da região, posteriormente, nos anos de 2015/2016 acontece os maiores eventos do esporte já realizados na nossa região, Leccross em parceria com Luciano e apoiados por Dilsin DS Tech, Rodrigo GF e Letto Panhossi, pai do piloto Tito Panhossi que esta em São Paulo, representando nossa cidade no campeonato Brasileiro de MX, recolocam o MotoCross no lugar de destaque que esse esporte merece.

O Motocross teixeirense já provou seu potencial, transmitindo grandes emoções e conquistando nesses 30 anos, amantes e pilotos.

Preparem os corações, grandes emoções em 2017 e os remanescentes do esporte irão reerguer essa tradição com um calendário que inclui campeonatos importantes como, Copa Extremo sul de Motocross, Campeonato Baiano de MotoCross, Supercorss e Straight Rhythm (pista de ritmo reto).

A grande novidade para o Motocross de Teixeira de Freitas será o Straight Rhythm, é uma competição em linha reta, em um circuito de supercross de 500 metros, extremamente técnico e cheio de obstáculos. Os melhores pilotos da Bahia, Minas e Espirito Santo, se enfrentam em duelos eliminatórios e vence quem sobreviver a todos os confrontos.

Por LeCross e Luciano/Extremosuper.com.br

Comentários