Goleiro Bruno Fernandes se reúne com a diretoria do Boa Esporte em MG

Goleiro Bruno Fernandes se reúne com a diretoria do Boa Esporte (Foto: Reprodução / Redes Sociais)

O goleiro Bruno Fernandes pode estar a caminho do Boa Esporte. O goleiro, que deixou a prisão há duas semanas, foi flagrado na tarde desta sexta-feira (10) por moradores almoçando em um restaurante de Varginha (MG) com a diretoria do clube. As imagens circularam em redes sociais. Após a repercussão, o goleiro conversou ainda no restaurante com o GloboEsporte.com e confirmou que pode fechar com a equipe de Varginha.

“Eu vim aqui conhecer a estrutura do clube, estamos em fase de negociação, me agrada muito, é um time que está cada vez mais em alta, surpreendendo outros clubes, tenho amigos aqui que me falam muito bem, não vim aqui à toa, posso dizer pra você que alguma coisa pode acontecer de hoje para amanhã”, disse o goleiro.

Após sair do restaurante, o goleiro se dirigiu para o hotel onde os jogadores do clube ficam concentrados. O Boa Esporte ainda não se manifestou sobre a reunião com o goleiro. O presidente do Montes Claros, Ville Mocelin, com quem o goleiro tem contrato válido até 2019, afirmou à equipe do GloboEsporte.com Grande Minas e Vales que ainda não foi procurado pela diretoria do Boa Esporte nem pelo empresário do goleiro sobre essa negociação com o clube de Varginha. No entanto, ele garantiu que vai esperar um desfecho para entrar em contato com o clube.

Goleiro Bruno Fernandes posa com moradores em Varginha (Foto: Régis Melo)

Interesse antigo

No dia 24 de março, quando o goleiro deixou a APAC de Santa Luzia (MG) por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), o Boa Esporte negou que tinha interesse na contratação do jogador. Segundo informações divulgadas pelo Jornal Hoje em Dia, o advogado do jogador, Lúcio Adolfo, teria sido informado por um intermediário que o clube estaria interessado no jogador.

Em fevereiro de 2013, a diretoria do Boa Esporte divulgou uma carta informando o interesse do clube em contratar o goleiro. Na época, o documento deixava claro a intenção do clube de esperar pelo jogador, que seria julgado naquele ano.

Em 2013, Bruno foi condenado a 22 anos e 3 meses de prisão pelo assassinato e ocultação de cadáver de Eliza Samudio, sua ex-namorada, e também pelo sequestro e cárcere privado do filho Bruninho. Segundo decisão do ministro Marco Aurélio, o goleiro poderá ficar em liberdade enquanto o recurso contra a condenação não é julgado.

Por Globoesporte.com

Comentários