Gabriel Jesus em xeque: atacante ainda merece ser o titular do Brasil na Copa? Veja os números

Com o bom desempenho de Fagner na lateral-direita, a firmeza de Tiago Silva na zaga e a aparente reestabilização emocional de Neymar, o ponto mais controverso com que Tite ainda tem de lidar na formação titular seleção brasileira é Gabriel Jesus.

Gabriel Jesus, durante Brasil x Costa Rica Getty Images

Fã do jogador desde antes de sua primeira convocação como técnico do Brasil, Tite segue mantendo o camisa 9 entre os titulares, dando de ombros para as críticas de parte da torcida e da imprensa.

É claro que o futebol não é feito apenas de estatísticas. Na formação de uma equipe, a dinâmica de relacionamento entre os jogadores, o moral e os aspectos emocionais que cada atleta acrescenta ao time, bem como a movimentação sem a bola na construção das jogadas, também pesam muito.

Mas, terminada a primeira fase, alguns números de Gabriel Jesus dão razão a quem o critica. Outros, no entanto, limpam um pouco a sua barra.

ESPN comparou os dados relativos aos principais atacantes do Mundial e constatou que o camisa 9 da seleção realmente está devendo em alguns fundamentos importantes para a posição em que atua.

Por outro lado, alguns jogadores elogiados até aqui no Mundial têm números piores que o dele. Confira e tire suas conclusões:

QUATRO CHUTES, ZERO GOL, ZERO ACERTOS NA META

Gabriel chutou apenas quatro vezes a gol. Para efeito de comparação, Cristiano Ronaldo, líder no fundamento, chutou 15 vezes. O sérvio Mitrovic, 14. E os uruguaios Cavani e Suárez, respectivamente, 13 e dez vezes.

Em compensação, os dois principais goleadores do torneio até agora não chutaram muito mais do que Jesus.

Harry Kane, com cinco gols anotados, concluiu apenas seis vezes. O belga Romelu Lukaku, quatro gols marcados, chutou cinco vezes.

Desse modo, pode-se dizer que o maior problema de Gabriel, mais do que não ter feito nenhum gol, é não ter nem mesmo acertado a meta uma vez sequer. As cinco conclusões de Jesus foram para fora.

Tite observa Gabriel Jesus de perto em Brasil x Sérvia Getty Images

68 PASSES, 30% ERRADOS

Gabriel tentou 68 passes nos três jogos de que participou, tendo acertado 48 (70,4% de acerto). Diego Costa acertou 46 de 52 tentados (88,5%). Cristiano Ronaldo tem índice de 82,6% de acerto, com 76 completados em 92 tentados.

Por outro lado, Suárez e Kane, com atuações elogiadas, tem índices piores do que o do brasileiro. O inglês tentou apenas 35 passes, errando 11 deles (68,6%). O índice é muito parecido com o do uruguaio do Barcelona: 68,8%, com 55 passes certos em 80 tentados.

UMA ASSISTÊNCIA (FOI MESMO?)

Gabriel Jesus tem computado para si um passe para gol no Mundial.

O dado foi anotado na partida contra a Costa Rica, no gol de Philippe Coutinho: Marcelo cruza da esquerda, Firmino ganha pelo alto e Gabriel tenta matar a bola.

O camisa 9 não faz o domínio completo, mas encosta na pelota e a tira do marcador, deixando-a limpa para Coutinho fazer 1 a 0 para o Brasil. Ao que parece pelo replay, sua intenção não era fazer o passe. Mas, estatisticamente, foi o que aconteceu.

DESARMES

Há um fundamento em que Gabriel Jesus realmente se destaca dentre seus colegas de posição: desarmes.

São cinco efetuados, contra nenhum de Kane, Cristiano, Diego Costa e Suárez. Dos atacantes mais centralizados, apenas Sergio Agüero, com três, faz alguma frente ao 9 brasileiro.

Jesus é o segundo jogador de ataque que mais desarmou na Copa até aqui. Entre todos os atacantes, ele só perde para o sul-coreano Hee-Chan, que tem 7 e já está fora do Mundial.

Embora mostre a dedicação do jogador na busca pela bola, o dado não é exatamente o mais importante para um jogador de ataque.

ADMIRAÇÃO

Aqui, não há estatística, apenas memória. Por várias vezes, Tite já declarou ser admirador do jogo do ex-palmeirense.

Admiração que até hoje se justificou. Gabriel, junto com Neymar, é o artilheiro da Era Tite no comando da seleção. São dez gols, sendo seis deles em partidas das Eliminatórias para a Copa, além de quatro em amistosos. Jesus deu também quatro assistências em jogos das eliminatórias.

Em 2015, quando ainda era técnico do Corinthians, o treinador fez elogios ao então atacante do Palmeiras, no programa Linha de Passe, da ESPN.

“Ele é de verdade”, disse Tite, quando fez também uma comparação dele com Malcom, que era seu jogador no Corinthians, favorável ao camisa 9 da seleção

Após a vitória sobre a Sérvia, na última quarta (27), o técnico voltou a defender Gabriel:

“Artilheiro vive de fazer um grande jogo. Por vezes, sobra pra ele. Por vezes, sobra para o Thiago Silva, que é zagueiro. Futebol é assim. Paro para reflexão”, finalizou.

Ao que parece, Roberto Firmino ainda vai ter de esperar um pouco mais por uma chance no time titular.

E você, o que faria?

Por ESPN.com.br

Comentários