Empresário acusa calote por Gabriel Jesus e detona Palmeiras: ‘Tudo pelo dinheiro, banqueiros inescrupulosos’

O empresário Osório Furlan Júnior entrou com uma apelação na 9ª vara cível da Justiça de São Paulo, após ser derrotado em primeira instância em processo movido contra o Palmeiras. O investidor quer ser indenizado em R$ 15 milhões pela saída de Valdívia. E, para isso, mais uma vez detonou o clube, acusando até calote em agente de Gabriel Jesus.

ESPN.com.br teve acesso ao despacho, entregue há algumas semanas ao Poder Judiciário.

“Tratando-se de direitos econômicos de jogadores nas relações entre parceiros, a apelada inverte o tratamento considerando-se Gabriel Jesus, egresso da várzea, que, ao ser contratado, quedar-se-ia apenas como promessa. A evitar o pagamento aos parceiros, nesta ação o Palmeiras aduz que não deveria informar seu sócio acerca das tratativas com o jogador”, analisaram os advogados de Furlan Júnior.

Osório está se referindo a outra briga judicial envolvendo o Palmeiras, no caso com o empresário Fábio Caran, ex-agente de Gabriel Jesus que tenta ter direito a 22,5% da transferência do jogador, vendido por R$ 121 milhões ao Manchester City.

“É dizer, em outra demandada sob o mesmo signo (também não quer pagar a empresária de Gabriel Jesus), o Palmeiras promove ação alegando que não obtemperado o diálogo, que a empresária deveria conversar, reunindo-se incessantemente com os ex-dirigentes a melhor fluírem as relações. Vale dizer, assevera o inverso ao propolado neste procedimento”, continuaram os representantes jurídicos do empresário.

Para completar o raciocínio, detonaram a postura do Palmeiras: “Tudo pelo dinheiro, premissa de banqueiros inescrupulosos”.

Osorio Furlan Júnior cobra do Palmeiras R$ 15 milhões por perdas e danos na negociação do meia Valdívia com o futebol árabe, em agosto de 2015.

Furlan ajudou a gestão de Luiz Gonzaga Belluzzo – inimigo político do presidente Paulo Nobre, que é apadrinhado por Mustafá, principal rival do economista nos bastidores palestrinos – a contratar o meia ao adquirir 36% de seus direitos econômicos, investindo R$ 6 milhões.

A discussão na Justiça já rendeu diversos episódios, com o empresário disparando para todos os lados, e o clube dizendo que não quer nem saber de devolver a quantia investida por Furlan.

Com isso, caberá à Justiça decidir quem está certo na briga que pode dar prejuízo enorme aos cofres palestrinos. Por enquanto, o Palmeiras leva vantagem, já que venceu em primeira instância.

O clube foi procurado para comentar a nova apelação de Furlan Júnior, mas disse que não se manifesta sobre questões jurídicas.

Por ESPN.com

Comentários