Conmebol prevê premiação dobrada e VAR já nas oitavas em Libertadores 2019

Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

A pressão para que a Conmebol torne a Copa Libertadores um torneio mais lucrativo para os clubes tem surtido efeito. Presentes à reunião da entidade na última segunda-feira (20), no Paraguai, dirigentes brasileiros saíram animados com a perspectiva de que, a exemplo da edição 2018, a Libertadores da próxima temporada tenha um aumento significativo na premiação. Outra novidade é a ampliação, ainda que gradual, do árbitro de vídeo.

“Houve uma discussão para aumentar o valor da premiação da Libertadores, sim, para o ano que vem. Será colocado em 2019. Não deram números exatos, mas querem aumentar bem o valor da premiação”, confirmou Benecy Queiroz, supervisor de futebol do Cruzeiro.

Outros dirigentes ouvidos pela reportagem apontam que a Conmebol acenou com aproximadamente o dobro da cota de premiações na edição do ano que vem. A entidade que comanda o futebol da América do Sul negocia com grupos do Oriente Médio para a venda dos direitos de transmissão internacionais da Libertadores por números acima dos atuais. Essa negociação está em fase final e a expectativa é que o crescimento seja confirmado em três semanas – até o início de setembro.

Logo depois de ter o Grêmio consagrado como campeão da edição 2017, a Conmebol definiu que neste ano daria prêmios dobrados ao novo vencedor. O próximo ganhador da América do Sul terá direito a um valor de 11 milhões de dólares (R$ 43,6 milhões na cotação atual). Agora, o aceno é de que esse número voltará a dobrar para 2019, o que animou os dirigentes de equipes brasileiras, historicamente críticos quanto a esse tema.

VAR NAS OITAVAS DE FINAL
Outro item debatido na reunião com 16 dirigentes dos clubes que seguem na disputa das oitavas de final da Copa Libertadores foi o árbitro de vídeo. Se nesta edição a Conmebol tem o VAR em campo a partir das quartas de final, a participação será ampliada para 2019. A tendência é que isso ocorra a partir das oitavas de final, conforme indicado aos cartolas brasileiros.

Por Dassler Marques, Pedro Ivo Almeida e Thiago Fernandes | Folhapress

Comentários