CBF apresenta balanço do uso do VAR na Copa do Brasil

Foto: Fernando Torres / CBF

Além de definir os mandos de campo dos confrontos da semifinal da Copa do Brasil, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) apresentou um balanço do uso do árbitro de vídeo, da sigla em inglês VAR, nesta quarta-feira (22), na sua sede no Rio de Janeiro. A tecnologia foi utilizada pela primeira vez na história do futebol brasileiro nas quartas de final do torneio. Ricardo Bretas, gerente de Planejamento do VAR, comemorou o uso do equipamento.

“Gostaria de dizer a minha grande satisfação pela estreia do VAR no Brasil e da consolidação dessa ferramenta. Nos primeiros oito jogos que tivemos foi um verdadeiro sucesso tanto do ponto de vista operacional, como técnico. Todos os envolvidos tiveram uma atuação impecável”, afirmou. “A recepção pelos clubes foi fantástica. Treinadores e jogadores assimilaram bem os conceitos e respeitaram muito bem durante os jogos”, completou.

Em seguida, Ítalo Medeiros, consultor estatístico da Comissão de Arbitragem da CBF, apresentou os números levantados com a utilização do VAR na Copa do Brasil. No total, as oito partidas tiveram 58 checagens, uma média de 7,25 por jogo, que comparada com outras competições teve menos paralisações. O torneio nacional teve média de 57 minutos e 29 segundos de bola rolando por partida, enquanto na Copa do Mundo da Rússia teve 56 minutos e 55 segundos. As paralisações para a utilização do vídeo duraram, em média, um minuto e 18 segundos. Depois, o ex-árbitro baiano, Manoel Serapião, idealizador do projeto do VAR no Brasil, mostrou os bastidores do que aconteceu na sala do VAR nos estádios. Foram mostrados os áudios das conversas junto com os lances em questão.

Vale lembrar que a primeira vez que o VAR foi utilizado em campo no Brasil foi no jogo de ida do confronto entre Bahia e Palmeiras, na Arena Fonte Nova. O árbitro Anderson Daronco consultou o vídeo e anulou o cartão vermelho que havia dado ao volante tricolor Gregore por ter cometido pênalti no palmeirense Artur. Ao ser punido apenas com o amarelo, o atleta do Bahia jogou a partida de volta. A tecnologia seguirá sendo utilizado nos confrontos da semifinal da Copa do Brasil. Corinthians e Flamengo se enfrentam de um lado, enquanto Cruzeiro e Palmeiras medem forças do outro.

Por Leandro Aragão/Bahia Notícias

Comentários