Boa Esporte perde patrocinador master e fornecedora de material esportivo

Goleiro Bruno é aguardado no CT do Boa Esporte, em Varginha (Foto: Régis Melo)

O Boa Esporte sofreu duas novas baixas na tarde desta segunda-feira (13) após o anúncio da contratação do goleiro Bruno. O principal patrocinador do clube, o Grupo Gois & Silva e a Kanxa, fornecedora de material esportivo, anunciaram que não patrocinam mais a equipe. Com isso, o Boa Esporte já perdeu quatro patrocinadores desde que anunciou a contratação do goleiro.

Segundo nota divulgada no site oficial do Grupo Gois & Silva, a decisão foi tomada depois que o clube decidiu não rever sua posição de contratar o goleiro Bruno. Ainda conforme a nota, com o término do contrato, o Grupo Gois e Silva pediu a retirada de suas marcas (Grupo Gois e Silva, Dengue Control e Fazenda Ouro Velho) das camisetas, redes sociais e todos os demais canais de comunicação do Boa Esporte Clube. Ficou acordado consensualmente um período operacional para o clube apresentar seu novo uniforme sem as marcas do Grupo Gois e Silva.

Sobre a saída do patrocinador, o empresário de Bruno, Lúcio Mauro, afirmou que “o Bruno fica triste”, mas que tem “certeza que virá um master melhor do que o que saiu”.

Patrocinador master do Boa Esporte confirma retirada de patrocínio ao clube (Foto: Reprodução )

Já a Kanxa divulgou nota dizendo que “a partir de hoje, a empresa não é mais fornecedora de material esportivo do Boa Esporte”. Antes, também já haviam anunciado a saída a Nutrends Nutrition, empresa de suplementos nutricionais e a Magsul, clínica especializada em ressonâncias magnéticas.

A Cardiocenter Varginha, que prestava serviços de avaliações médicas ao clube, também disse ter pedido para que sua marca fosse removida do site do clube. A Kanxa, empresa fornecedora de material esportivo, também se posicionou contrária à contratação do goleiro pelo Boa Esporte. A empresa possui uma parceria com o clube de Varginha para o fornecimento de material esportivo em troca de visibilidade de marca e venda de camisas. A empresa informou que estuda o caso e aguarda o anúncio oficial da contratação para definir se continua com a parceria.

Em seu perfil oficial no Facebook, o Boa Esporte “reitera que sua postura é a favor da reintegração social e que o goleiro Bruno merece uma nova oportunidade como profissional. O clube não tem relação com as ações pessoais de Bruno, tampouco com seu passado, tendo contratado somente o profissional”.

Goleiro fará exames só nesta terça-feira

O goleiro Bruno Fernandes já está em Varginha (MG) para assinar contrato com o Boa Esporte. No entanto, conforme a diretoria do clube, ele só deverá fazer os exames necessários na manhã desta terça-feira (14), horas antes da apresentação oficial do jogador. O clube ainda não divulgou o local e o horário da apresentação.

Mesmo com a debandada de vários patrocinadores, que não querem associar suas marcas ao goleiro, a diretoria do Boa Esporte disse pela manhã que não vai desistir do negócio.

Site hackeado

Após o anúncio da contratação do goleiro Bruno na última sexta-feira (10), o site oficial do Boa Esporte Clube foi hackeado no início da tarde deste domingo (12). A página inicial, que trazia informações sobre o clube e os últimos jogos no Campeonato Mineiro, foi substituída por um texto com dados sobre feminicídio e questionamentos sobre a associação de empresas com o jogador.

Momentos depois, o Boa Esporte retirou a mensagem do ar, deixando somente uma página em branco.

Página oficial do Boa Esporte foi hackeada após anúncio do goleiro Bruno (Foto: Reprodução site Boa Esporte)

Outro lado
Em nota oficial publicada no início da tarde deste domingo (12) e assinada pelo presidente do clube, Rone Moraes da Costa, o Boa Esporte afirma que “não foi o responsável pela soltura e liberdade do atleta Bruno, mas o clube e sua equipe, enquanto empresa e representada por seres humanos, dotada de justiça e legalidade, podem dizer que tentam fazer justiça ajudando um ser humano, mais, cumprem a legalidade dando trabalho a quem pretende se recuperar”.

No documento, o presidente diz ainda que “o tão procurado estado democrático de direito, a sociedade justa e fiel, a vida em sociedade, segundo critérios civilizados indicam de longa data que o criminoso colocado em liberdade deve ter atenção do estado, atenção suficiente para que possa restabelecer uma vida em sociedade. E ninguém pode negar que não existe vida em sociedade mais digna [do que a] vida no trabalho”.

Por Globoesporte.com

 

Comentários