Árbitros derrotam a ditadura Ednaldo

Depois de ser obrigado pelos grandes clubes do futebol baiano a desistir da presidência da FBF (Federação Baiana de Futebol) e deixar em 2019, mas assumindo um súdito, Ricardo Lima, numa eleição sob total questionamento moral, o atual presidente da entidade máxima foi mais uma vez derrotado. Desta vez, pelos árbitros baianos que não aceitaram a explícita tentativa de tirar o comando do Sindicato dos Árbitros de Futebol dos profissionais.

Apoiando abertamente um candidato cuja chapa estava impugnada por inadimplência, liderada por Jailson Macedo Freitas, que preferiu estar ao lado da cúpula ao invés dos colegas profissionais, Ednaldo Rodrigues, responsável por alguns dos maiores fracassos da história do futebol baiano em todos os tempos, sofreu uma humilhante derrota por 67 a 18 na contagem final dos votos, em eleição realizada ontem (4).

Manoel Lopo Garrido, também um dos árbitros perseguidos pela atual gestão do esporte baianos, como Arilson Bispo da Anunciação, Lúcio José Araújo, Fernando Andrade e outra dezena, vai comandar o SINBAF com apoio de todos os já citados.

Se na eleição manipulada da FBF há dias, quando o Estatuto foi mudado para beneficiar o “comando”, a atual diretoria manteve o poder quase “ad eternum”, na dos profissionais da arbitragem fica a síntese da má gestão do futebol baiano que pena com quedas no ranking da CBF, no público, na renda, na quantidade de árbitros que apitam o Brasileiro A e na credibilidade.

Ah, mas existe uma luz: o presidente é 8º vice-presidente da CBF, ou seja, bem perto do 9º lugar que ele jogou a FBF no ranking das federações.

Se primeiro vice nada decide, imaginem o 8°. Se dividirmos em 3 séries pela quantidade de estados sem o DF, estamos na Segunda Divisão.

Parabéns Arilson, Lúcio, Manoel e todos os árbitros que não se curvaram diante da tirania e incompetência.

Yancey Cerqueira

Radialista DRT/BA 06

Comentários