A partir de 2019, clubes rebaixados para a Série B terão cota menor já no ano da queda

A partir de 2019, os clubes que forem rebaixados para a Série B do Campeonato Brasileiro terão outro grande problema para se preocupar, além da dificuldade para retornar à elite brasileira. Diferente do que acontecia até este ano de 2018, os clubes considerados “cotistas”, que caírem para a segunda divisão, não receberão mais a mesma cota de TV que recebiam enquanto estavam na Série A.

Como já se sabe, a partir da próxima temporada será colocado em prática o novo modelo de pagamento dos direitos de TV. Desta forma, a TV Globo, por exemplo, prevê a distribuição de receitas de TV Aberta e Fechada de três formas: 40% igual entre os times, 30% por número de exibição na Globo, e 30% de acordo com a posição no campeonato. Além disso, também haverá o pagamento por Pay-per-view, que será de acordo com o número de torcedores assinantes.

O detalhe é que o dinheiro que será distribuído de acordo com a colocação dos clubes, será pago apenas do 1º ao 16º colocado, sendo que o campeão embolsará R$ 33 milhões, enquanto o 16º ficará com R$ 11 milhões. Desta forma, além da queda para a Série B, os quatro últimos colocados também não receberão nenhuma cota referente a este item, causando um grande prejuízo já no ano da sua queda.

Comentários